<$BlogRSDUrl$>

segunda-feira, dezembro 06, 2004

Bota o quem???
Eu meto-me em cada uma...
Ai ai!!

domingo, dezembro 05, 2004

"A PIÇA": TODO UM POEMA NEO-ROMÂNTICO 

Grossa, curta, grande ou fina
Não vale por sua dimensão
Desde qu’o tocador qu’ a trina
Tenha bom diapasão.

Tem foles, mas não s’abufa,
(chucha, quem for gulosa).
Instrumentália curiosa
Que é baqueta mas não rufa.

Será então de percussão?
Pois com ela se bat’em pel' esticada,
E se houver mama em condição,
Samba logo espanholada!

Instrumento multifacetado,
Tem no vinho grande vilão:
Na hora h, pode-o deixar prostrado,
Ou arrebitá-lo com o maior coirão!

quarta-feira, maio 12, 2004

josé joão olé.

domingo, julho 13, 2003

É PUEARCO MAS ALIBIA, CÁRÁLHO!!!

Senhoras e Senhores, meninas e meninos, finalmente o blog por que todos esperavam:

BOTA BRITA !!!

"Bota Brita" é um espaço originalíssimo, nunca visto até hoje, sem igual na internet e no mundo bloguístico, que consiste em um gajo vir para aqui dizer as boçalidades que lhe apetecer e que eu deixar, porque o blog é meu! Mas, como boçal que sou, em princípio terei de respeitar um dos principais mandamentos da boçalidadahood (=irmandade dos boçais): "não coartarás a boçalidade alheia"!

Por isso, meus amigos, amendem-me com vuestros desabafos, lembrando-se sempre que, muitas vezes, "é porco mas alivia"!!!

A minha única solicitação é: nível, sempre que possível, mesmo quando não houver nível.


AS GAIJAS E O MEDO DAS PILAS

Se há coisa que me irrita é que o gaijedo tenha a mania de fingir - porque se é a sério, então ainda me irrita mais - que tem medo às pilas da malta.
Desde puto que tenho a imagem, marcada para todo o sempre, de um tipo qualquer na escola primária de gaita de fora e as meninas todas a fugir histéricas como o Diabo da cruz! Cum caralho, a cruz ao Mafarrico ainda deve fazer algum mal, tipo pô-lo bonzinho, fazer-lhe cair o pêlo ou mingar-lhe os cornos, por isso compreende-se que ele se borre todo e fuja; agora as meninas da minha escola, o máximo que o tipo da piroca lhes podia ter feito era mijar-lhes para cima, e mesmo assim nunca na vida teria tido bexiga para tantas!!!
É que um tipo com a grila de fora é risível e vulnerável, nunca assustador.
Que é risí­vel, há muitas raparigas que já descobriram, o que também não é nada bom que elas andem para aí­ a rir-se das pilas dum gajo, por muito que nós nos caguemos a rir uns dos outros; quanto à vulnerabilidade, sorte a do tipo da escola primária que as meninas não sabiam disso: não gosto nem de imaginar a sorte dele se tivesse que enfrentar aquela turba de meninas prestes a entrar na idade em que são enormes, feias e más, umas a dar-lhe chapadões e carolos na cabeçorra do piroco enquanto as outras lhe apertavam o gasganete - ao piroco, entenda-se - para que ele não batesse em retirada para junto da fruta!

Mas parece-me que este medo fingido é incutido logo de pequeninas. Para quê, senhoras, para quê? A pila é bicho tão lindo e dócil!
Depois, à conta de tantos receios, há quem lhes ganhe cisma. E aí­ é que o caldo está entornado, porque nem as pilas gostam que cismem delas, nem vocês, senhoras, sabem o que perdem por cismarem. E, claro está, a culpa das vossas parrecas ficarem de gêlo radica em nós, dizem vocês, que somos insensí­veis, não sabemos compreender a intimidade da mulher, que é muito complexa, etc, quando, no fundo, no fundo, tudo começou há muitos anos atrás, na escola primária ou infantário, ao começarem todas a fugir histericamente dum palhaço qualquer que levava o caraculu de fora atrás de vocês, em vez de lhe terem esbofeteado violentamente aquela sarda!!! Riam-se vocês, riam-se os vossos colegas, curavam dezenas de traumas em potência e o palhaço pensaria duas vezes antes de voltar a repetir a graça.

Por último, pensem numa coisa: alguma vez nós, homens, desatamos a fugir tresloucadamente duma parreca? Hem? E olhem que dalgumas até que dá vontade!

Por isso, minhas senhoras, façam-se um favor e deixem de ser ridí­culas: deixem de fingir que têm medo de pilas, nem transmitam esse uso hediondo às vossas filhinhas, que elas (as pilas) nunca fizeram mal a ninguém.

Quando muito, mal fazem os burros dos gajos que a elas vêm agarrados!

Mas disso as pilas não têm culpa nenhuma!


Bem Hajam e BOTA BRITA!!!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?